terça-feira, 28 de março de 2017

AMABC e CCBD - Centro Cultural Brasil Dinamarca, parceria à vista!


O Centro Cultural Brasil Dinamarca com sede em Copenhagen, Capital da Dinamarca. Inicia contato com a AMABC – Associação dos Músicos de Bom Conselho, com fins de realizar parceria cultural. De propriedade da Bonconselhense, ROSI SILVA, que mesmo morando a distancia da terra de Dantas Barreto, edificou no coração de Copenhagen um espaço gourmet, especializado em comida brasileira. Em anexo ao “Restaurante Sabor Da Minha Terra”, foi construído um espaço para encontros e reencontros da rica cultura brasileira. Samba, Pagode, Forró, Bossa Nova, MPB entre outros ritmos, animam brasileiros e dinamarqueses, bem no recanto das lindas terras nórdicas da Europa. Rosi que é apaixonada pelos valores culturais de sua terra, ficou bastante feliz em saber da existência dos Bonecos Gigantes do Carnaval de Zé Puluca. Principalmente quando soube do prestigioso convite que a AMABC recebeu para representar o Brasil, no Festival de Gigantes em Steenvoorde (França). Agora o tempo se encarregará da viabilidade dos gigantes de Puluca irem a Copenhagen, na Denmark!!!

domingo, 26 de março de 2017

REDE GLOBO: Bonecos Gigantes de Bom Conselho ganham novo destaque na TV Asa Branca


Por: Carlos Alberto

Aos poucos estamos construindo uma plataforma cultural que possa cada vez mais levar o nome de Bom Conselho aos 4 cantos de Pernambuco e do Mundo. Tudo que conquistamos são frutos de muitos esforços e sacrifícios. Não é fácil realizar um evento dessa magnitude sem o apoio do Poder Público. Tá aí a TV Asa Branca e o Portal G1 da Rede Globo, ajudado a divulgar a nossa cultura carnavalesca. Estamos provando a todos que é possível sim, resgatar os antigos carnavais de ruas de Bom Conselho. Infelizmente a proposta carnavalesca que o Estado de Pernambuco através da PMBC apresentou nesse último festejo de momo, a nossa população, não condiz com a propagação cultural que tanto o Governador Paulo Câmara defende e faz questão de propagar para todo Pernambuco. Estamos atrás não é só de festa senhores governantes. E nem tão pouco queremos qualquer tipo de festejo. Queremos sim uma plataforma carnavalesca que direcione Bom Conselho ao desenvolvimento turístico sustentável, que possa gerar rendas e novos empregos de verdade para o nosso povo. Precisamos atrair os foliões das cidades circunvizinhas, para que os hotéis, os bares, as pizzarias, as lanchonetes e os ambulantes possam cada vez mais faturar com seus produtos e serviços. Precisamos ajudar os taxistas e mototaxistas a aumentar suas rendas. Não devemos esquecer também das costureiras, que a cada Folia de Puluca confeccionam novas fantasias. Há existências de novos trabalhos informais, gente que estão confeccionando adereços para os foliões. Os supermercados e distribuidoras estão cada vez vendendo um pouco a mais dos seus produtos. O que direciona aos cofres dos poderem públicos mais impostos. Chegou a hora de Bom Conselho se unir, e juntos construirmos um grande polo de folia para Pernambuco!

Clique AQUI e assista na integra a matéria exibida na TV Asa Branca sábado (25/03)

sábado, 25 de março de 2017

CARNAVAL DE ZÉ PULUCA, COMO TUDO COMEÇOU: Luiz Clério, e os maiores doadores da I Folia de Puluca



Para ser tocado o movimento cultural de Puluca necessitaria de dinheiro. E para isso seria preciso obter ajuda de pessoas que tivessem boa vontade em ajudar a erguer a Folia que Homenagearia a memória do maestro Zé Puluca. O movimento ganhou de cara um importante militante. LUIZ CLÉRIO DUARTE, Editor e Proprietário do Jornal Agazeta. Graças a sua ilustre pessoa Dr. Emanuel Luna e Dr. Hélio Urquisa, passaram a ajudar de forma relevante na criação do CARNAVAL DE ZÉ PULUCA. Sendo o idealizador e proprietário da Rádio Papacaça AM e FM, Hélio Urquisa o maior doador financeiro do movimento. Sua contribuição possibilitou as confecções dos bonecos gigantes de Zé Puluca e Pedro de Lara. 


Já o Estandarte do Carnaval de Puluca, e a metade dos custos com palco, som e iluminação, ficaram a cargo do Dr. Emanuel Luna. Tornando-se o mesmo no segundo maior doador do I Grito Carnavalesco de Puluca. O prefeito Dannilo Godoy também foi procurado para ajudar na ocasião, porém a contribuição da PMBC, só aconteceu graças ao seu irmão, Daniel Godoy. Que contribuiu no restante dos 50% do pagamento do palco, iluminação e som. Cachês de passistas de Frevo, seguranças, carregadores de bonecos, orquestra de frevo. Despesas com transportes, alimentações e impressos. Foram pagos com recursos próprios de Carlos Alberto. Que não mediu esforços para também da sua contribuição, levando pra ruas de Papacaça, o ressurgimento do carnaval de rua dos tempos de outrora.