sexta-feira, 4 de agosto de 2017

DANTAS BARRETO: Um Marechal Bonconselhense que Governou Pernambuco


Ele nasceu em Bom Conselho, em 1850; faleceu em 1931 no Rio de Janeiro. Foi militar, escritor e político, participou da Guerra de Canudos como Comandante. Foi presidente de Pernambuco, (1911-1915), e senador da República  por esse Estado (1916-1918). Em 1868 Dantas Barreto foi promovido a oficial. Destacou-se na guerra e ao voltar ao Brasil, após a vitória, foi condecorado por sua atuação. Ingressou na Escola Militar do Rio de Janeiro fez o curso de artilharia e foi ascendendo lentamente aos vários postos que ocupou: Tenente (1879), Capitão (1882), Major (1890), Tenente-Coronel (1894), Coronel (1897), General de Brigada (1906), General de Divisão (1910) e Marechal de Exército (1918). Dedicou-se à literatura e ao teatro e escreveu peças como a “Condessa Hermínia” (1883), “Margarida Nobre” (1886) e “Lucinda e Coleta, Episódios da Vida Fluminense” (1896). Mais em sua cidade natal (BOM CONSELHO) tirando a denominação da Sede do Poder Legislativo Municipal, de uma Praça e uma Escola Municipal, pouco o quase nada se fala ou se ouve de Emídio Dantas Barreto.

Chegada de Dantas Barreto ao Recife.
PERIÓDICO O MALHO - (11-11-1911)

“Bom Conselho precisa rever com carinho os principais acontecimentos de sua história. Que por sinal são lindos! A sociedade civil Bonconselhense, também tem responsabilidade em proteger o seu legado: Professores, escritores, jornalistas, associações culturais, historiadores, comércio... . Não podemos fugir do foco em questão. Precisamos todos juntos reescrever o que ainda habita em nossas memórias. Afinal qual a história  que queremos de verdade deixar para os nossos descendentes?". Pontuou Carlos Alberto.
 
                                   Dantas Barreto passa pela Rua Rosa e  
Silva (Imperatriz) na chegada ao Recife.
O MALHO (11-11-1911)